APP - Associação Portuguesa de Psicogerontologia

PRÉMIO DRª. MARIA RAQUEL RIBEIRO – ENVELHECIMENTO ATIVO

Prémio Dra. Raquel Ribeiro premeia envelhecimento ativo

CERIMÓNIA DE ENTREGA DOS PRÉMIOS 2012

Laureados -PRÉMIO DRA MARIA RAQUEL RIBEIRO – 2012

20 de dezembro de 2012

Teve lugar dia 20 de Dezembro de 2012, no auditório do Montepio, a cerimónia de entrega do Prémio Dra. Raquel Ribeiro, iniciativa criada pela Associação Portuguesa de Psicogerontologia, no âmbito do Ano Europeu do Envelhecimento Ativo e da Solidariedade entre Gerações e destinada a  homenagear a Dra. Maria Raquel Ribeiro – figura incontornável da Segurança Social, que introduziu o tema do envelhecimento em Portugal.

Lançado em 1 de outubro último, com a colaboração da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa e a Fundação Montepio,  o Prémio Dra. Maria Raquel Ribeiro tem por objetivo reconhecer a vida ativa e a participação social de pessoas com 80 ou mais anos de idade, que    desenvolvem atividade profissional ou cívica relevante na sociedade.

Na cerimónia, que contou com a    presença de Maria Joaquina Madeira, coordeandora do Ano Europeu, António Tomás Correia, Presidente do Montepio, de Maria João Quintela, Presidente da APP, de Monsenhor Vitor Feytor Pinto e de Rita Valadas, Administradora-executiva da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, foram entregues prémios às seguintes personalidades:

Maria Helena Cadete Bernardo     Categoria | Intervenção Social

Eunice Munoz     Categoria | Arte e Espetáculo

Maria Odette Santos Ferreira    Categoria | Ciência e Investigação

Walter Osswald     Categoria | Política e Cidadania

 Tomaz Rebelo do Espírito Santo     Categoria | Família e Comunidade

Sebastião Mateus Arenque     Categoria | Família e Comunidade

ENVELHECIMENTO ATIVO

PREMIO DRA. MARIA RAQUEL RIBEIRO – EMVELHECIMENTO ATIVO – 2012

Prémio Envelhecimento Ativo Dra.Maria Raquel Ribeiro

 

2012

 

Dra.Maria Helena Cadete Bernardo Intervenção   Social
Eunice Munoz Arte e Espetáculo
Dra.Maria OdetTe Santos Ferreira Ciência   e Investigação
Prof.Dr.Walter Osswald Politica e Cidadania
Eng.Tomaz Rebelo do Espirito Santo Familia e Comunidade
Sebastião   Mateus Arenque Familia e Comunidade

 

 

 

Dra. Maria Helena Cadete Bernardo

 

Directora de Serviços de Acção Social até à sua aposentação em 1997.

Coordenou vários grupos de trabalho, integrou a Comissão Nacional para a Politica da 3ª idade e foi responsável pelo “Guia do Idoso”. Colaborou no documento Envelhecimento Activo – Mudar o Presente para ganhar o futuro”.

Fez parte durante mais de dez anos, em representação do Ministério da Segurança Social, da Comissão de Gestão do Programa de Apoio Integrado a Idosos PAII, coordenado pela Senhora Dra. Maria Raquel Ribeiro, tendo sido uma das principais obreiras do lançamento do Serviço de Telealarme, no âmbito do PAII.

Fundou a Associação Coração Amarelo que visa desenvolver voluntariado junto de pessoas idosas a viver em solidão quer no domicilio, quer em instituição.

Foi galardoada com o prémio “Nunes Correa Verdades de Faria“, na área Cuidado e Carinho Dispensado aos Idosos Desprotegidos em 2011 atribuído anualmente pela Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, por ter desenvolvido uma longa e vasta actividade dedicada ao apoio e acompanhamento de pessoas idosas, especialmente em situação de maior fragilidade como Profissional e como Voluntária.

Continua participativa e presente em múltiplas atividades que se dirijam à promoção da imagem ativa e positiva dos mais velhos.

 

 

Eunice Muñoz

 

Eunice do Carmo Muñoz nasceu em Amareleja a 30 de Julho de 1928, iniciou a sua carreira em 1941 na peça “Vendaval de Virginia Vitorino” com a Companhia Rey Colaço/ Robles Monteiro.

Em 1945 concluiu o Curso do Consevatório com a nota de 18 valores.

Em 1946 dá-se a sua estreia no cinema no filme de Leitão de Barros, Camões ganhando o prémio do SNI da melhor actriz do ano.

A partir de 1963 aparece com regularidade na televisão em peças como “O Pomar das Cerejeiras de Anton TchekovA Dama das Camélias, de Alexandre Dumas FilhoRecompensa, de Ramada Curto; Os Anjos Não Dormem, de Armando Vieira Pinto.

Estreia-se em telenovelas com uma notável interpretação em A Banqueira do Povo, de Walter Avancini, em 1993

É Oficial da Ordem Militar de Sant’Iago da Espada e desde 2010 Grande-Oficial da mesma Ordem

Tem a Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique.

Em Maio de 2008 é agraciada com o Globo de Ouro de Mérito e Excelência.

 

Em Maio de 2012, na sequência de uma queda durante os ensaios da peça de Tennessee Williams ” O Comboio da Madrugada” no Teatro Nacional D. Maria II, suspendeu provisoriamente a sua actividade.

Fez também com o grande ator português Ruy de Carvalho, a peça   ” A CASA DO LAGO”, outra representação notável.

É uma figura pública muito conhecida e querida de todos os portugueses.

 

 

Professora Doutora Maria Odette Santos Ferreira

 

Licenciou-se em Farmácia em 1970, doutorou-se em França em 1977 e é Prof.Catedrática de Microbiologia desde 1987, actualmente Professora catedrática jubilada da Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa.

Pioneira nos estudos da infecção do vírus da imunodeficiência humana no nosso país. Estas investigações, efectuadas em colaboração com o grupo do Professor Luc Montagnier do Instituto Pasteur de Paris, conduziram à descoberta do VIH do tipo 2. A descoberta deste segundo tipo de Vírus da SIDA teve um impacto enorme na história  natural, epidemiologia e diagnóstico da infecção VIH.

O governo francês agraciou Maria Odette Santos Ferreira com a distinção Cavaleiro da Legião de Honra e em Portugal, o Presidente da República atribui-lhe o Grau de Comendador da Ordem Militar de Santiago de Espada,.

Das funções desempenhadas, salienta-se o cargo de coordenadora da Comissão Nacional de Luta Contra a Sida (CNLS) que exerceu de 1992 a 2000 por nomeação do Ministro da Saúde. Foi consultora e representante de Portugal no Comité Consultivo do Programa de Prevenção da SIDA e de outras Doenças Transmissíveis e no Programa Europa Contra a Sida da União Europeia.

Recentemente em 2012 foi-lhe atribuído o Prémio Nacional de Saúde 2012.

 

 

Professor Doutor Walter Osswald

 

Walter Friedrich Alfred Osswald nasceu no Porto em 20 de Setembro de 1928.

Licenciou-se em Medicina, na Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, com 19 valores, em 1951 e doutorou-se em 1958.

No ano seguinte foi nomeado Assistente convidado da Faculdade de Medicina da Universidade de Frankfurt e, mais tarde, em 1968 foi indigitado Professor Extraordinário da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, passando a Professor Catedrático em 1972.

Foi Director do Instituto de Bioética da Universidade Católica Portuguesa (UCP), membro do Conselho Nacional de Ética para as Ciências da Vida (CNECV), Director do Instituto de Farmacologia e Terapêutica da Faculdade de Medicina do Porto (1988-1993), Presidente do Gabinete de Investigação em Bioética da UCP (1995-2000), Professor visitante das Universidades de Gand, Paris, Düsseldorf, Frankfurt, Kuwait, Valência e Presidente da Comissão Nacional de Humanização (MS) 1995-2000, membro e Chairman do Grupo de Trabalho sobre Protecção do Embrião e do Feto União Europeia (1998-2001), Presidente da Fundação Grünenthal (desde 1999) e ainda membro e Presidente de Comissões de Ética (do Hospital de S. João, do Centro Hospitalar do Conde de Ferreira, dos Hospitais de S. João de Deus, da Universidade do Porto).

Em 2008 foi agraciado com o Grau de Doutor Honoris Causa pela Universidade de Coimbra, e com a Grã Cruz da Ordem de Sant’Iago e Espada, atribuída pelo Presidente da República.

Actualmente é Conselheiro do Instituto de Bioética da UCP.

É uma pessoa sempre pronta a ajudar e colaborar com todos os profissionais que lutam pela promoção da dignidade da vida humana e uma pessoa também muito querida de todos nós.

 

 

Eng. Tomaz Rebelo do Espirito Santo

 

Foi Governador Civil de Vila Real, tendo tomado posse em 19 de Janeiro de 1970. Responsável pela construção do Aeródromo e pela criação do Instituto Politécnico de Vila Real.

Fundador do Boletim Metereológico.

Director do Projecto Internacional do Estuário do Tejo, Director-Geral do Ambiente em finais de 1983.

Deputado da Assembleia da Republica.

Em 1991, reformou-se e assumiu as funções de Director da Comissão Cultural Luso-Americana.

Possui a Comenda da Ordem de Cisneros, de Espanha, e possui também a medalha de ouro da Casa de Trás-os-Montes.

Director do Jornal deReformados e da 3ª Idade.

Presidente da Junta Central de Acção Católica.

Membro Fundador e da comissão Executiva da Fundação Internacional da Familia com sede em Zurique.

Vice Presidente da Confederação Nacional das Associações de Familias.

Publicação do livro ”Família base da revolução necessária”, cujo lançamento decorreu precisamente em 20 de Dezembro de 2012, à mesma hora da entrega deste Prémio, motivo porque não pôde estar presente e se fez representar pelo seu neto e genro, com uma presença que nos encheu de alegria e de espírito de família e solidariedade entre as gerações.

 

 

Sebastião Mateus Arenque

Natural de Azambuja, trabalhador rural e posteriormente electricista.   Por tudo o que tem feito e escrito é um grande nome não só de Azambuja mas da cultura ribatejana. A dedicação à etnografia ao longo de várias décadas granjeou-lhe entre a população o título de “mestre” .

A Câmara Municipal de Azambuja atribui ao Museu Municipal, inaugurado em Outubro de 2004, o nome de Sebastião Mateus Arenque. Em Maio de 2003 o poeta popular recebeu também a Medalha de Honra do Município, distinção máxima da Autarquia.

No dia em que Sebastião Mateus Arenque comemorou 88 anos (2011) apresentou um novo livro. “Confessório à moda antiga: memórias de outros tempos”, editado pela Câmara Municipal de Azambuja.

O Senhor Sebastião Arenque, que veio acompanhado de familiares e de pessoas ligadas ao Centro Social Paroquial da Azambuja, do qual recebe apoio numa perspectiva de envelhecimento ativo, é um exemplo, dos muitos que esperamos consolidem connosco, os propósitos de mudança de mentalidades e atitudes face às pessoas mais velhas, de que a APP quer ser um espaço amplificador da voz das pessoas idosas ativas e participativas. Agradecemos também ao Centro Social Paroquial da Azambuja, na presença do seu Director, Dr. José Batalha, o ter contribuído para que fosse possivel a candidatura do Senhor Sebastião Arenque.

Agradecemos terem vindo trazer-nos o exemplo vivo e ativo de uma pessoa da comunidade, que hoje personifica tantos outros que trabalham e contribuem para o bem social, acima dos 80 anos.

 

 

Apresentação dos galardoados feita pelo Dr. Wolfgang Gruner, da Direcção da APP, na cerimónia de entrega dos primeiros prémios Dra. Maria Raquel Ribeiro / ENVELHECIMENTO ATIVO.

20 de Dezembro de 2012

Auditório do Montepio