APP - Associação Portuguesa de Psicogerontologia

‘Nova’ Saúde Oral testa idosos do Norte

29.07.10 · NOTÍCIAS


Programa de Saúde oral entra numa nova fase já a partir de setembro próximo.

O futuro Programa Regional de Saúde Oral (PRSO), que está já a ser desenvolvido em conjunto entre a coordenação do programa, o Instituto de Administração da Saúde e Assuntos Sociais (IASAÚDE) e a direcção dos Cuidados Primários, trará algumas novidades em relação aquele que vigorou anteriormente.

Segundo explicou Ana Clara Silva, vice-presidente do IASAÚDE, uma das principais novidades a ser implementada já este ano será a experiência piloto de vigilância sistemática em Medicina Dentária em pessoas com 65 anos e mais nos concelhos de São Vicente e Porto Moniz. “Isto significa que haverá uma avaliação de todas as pessoas inscritas nos centros de saúde nessa faixa etária”, explica.

Mas essa não será a única mudança visível. Aliás, a principal alteração acontecerá mesmo ao nível funcional e terá a ver com o facto da promoção e prestação de cuidados de saúde oral passarem a ser dinamizadas pelas Equipas de Saúde dos Centros de Saúde, coordenadas pela Medicina Dentária. Como explicaram as responsáveis ao DIÁRIO, embora o PRSO, continue muito vocacionado para as crianças com idades compreendidas entre o 3 os 9 anos, a verdade é que a saúde oral deve ser uma preocupação antes dos 3 anos e depois dos 9 anos, por isso tem de ser trazido para os centros de saúde, onde assenta a saúde familiar em todo o ciclo de vida.

É por essa razão que as equipas de saúde estão já a ser dotadas de competências na área por forma a promover os cuidados de saúde oral  junto das famílias e das escolas, incidindo sobretudo nas mulheres grávidas e nas crianças, em seguimento nas consultas de Saúde Materna, Saúde Infantil e Saúde Escolar.

Mas a aposta junto das crianças em idade escolar não vai ser descurada, garantem ao DIÁRIO. Os centros de saúde vão introduzir uma vigilância programática às crianças que entram no programa aos 3 anos, aos 6 e aos 9 anos, e tudo isto em perfeita articulação com a Medicina Familiar. Além disso, pelo menos uma vez por trimestre, haverá uma visita do centro de saúde às escolas.

Além disso haverá também uma aposta na descentralização na consulta pública de Medicina Dentária às crianças inscritas no PRSO que actualmente apenas está disponível no Funchal (Centro de Saúde do Bom Jesus), Porto Moniz e Porto Santo. Ainda este ano, será disponibilizada uma consulta da especialidade no Centro de Saúde de Machico (para as crianças do concelho), mas o objectivo é o de continuar a descentralizar progressivamente até abranger todo o território regional.

Fonte: Diário de Notícias